Tudo na vida tem sua razão de ser. Assim ocorre com os nomes dos meses de nosso calendário, como agosto. Lembrei-me de sua ligação com o imperador Augusto César, o todo poderoso daqueles tempos. Pesquisei no Google – que beleza que ele é! – e encontrei a explicação.  O nome deste mês é em homenagem ao filho adotivo do imperador, César Augusto.

Não sei como era o clima por lá nesse mês. Verão, primavera, algo assim. Mas, para nós da Região Sul do país, é um tempo preocupante, pelas destemperanças de nosso clima.

Neste ano, particularmente, nosso temor é maior. Pois El Niño já nos castigou com vários ciclones, deixando em seu rastro destruições e mortes. Mas, como os idosos dos velhos tempos, que não se abatiam por pouco, vamos supor o melhor: passado agosto, estaremos salvos para o resto de 2023.

Meio ano já se venceu, e quanta coisa tem acontecido. Umas boas, outras bem tristes. Tantas são as notícias de tragédias na mídia que mudei de canais e emissoras. Agora, prefiro música, arte, novidades na ciência, nos métodos de ensino, no mundo do trabalho, nas profissões e nos cursos de adaptação a novas funções.

Quando vejo os dramas da Cracolândia, em São Paulo, que as autoridades querem combater com a expulsão de consumidores e traficantes de drogas das áreas centrais, mas que reaparecem em outros espaços, fico abatida. E louvo pessoas que se dedicam a dar-lhes assistência, com gestos que confortam, além de alimentos e agasalhos, para minorar suas carências. É preciso coragem!

Este drama, infelizmente, está em toda a parte. Aqui mesmo, próximo ao Cemitério Municipal, não dá para transitar quando escurece o dia. Ao deixar minha auxiliar na sua casa, naquela vizinhança, para atender a uma emergência, fui abordada por um rapaz que me pedia uns trocados para comprar medicamento da ansiedade… Depois, fiquei sabendo que outros jovens procediam da mesma maneira, em todas as áreas da cidade.

Tive a impressão de que “zumbis” tomaram conta de nossos espaços, quando mais necessitamos de mentes claras e de iniciativas saudáveis para melhorar este mundo. Algumas providências devem ser tomadas com urgência. Com muita fé e coragem. O Bem tem que vencer.