Alunos da ETERRG apresentam trabalhos na Expointer

Um deles trata sobre a aplicação do método FAMACHA no ensino técnico, e o outro sobre a arte da guasqueria

Quatro alunos da Escola Técnica Estadual Dr. Rubens da Rosa Guedes (ETERRG) apresentaram dois trabalhos ontem, 31 de agosto, na casa da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (AGPTEA), na Expointer 2023.

Um deles, “Ensino Técnico e Aplicação do Método FAMACHA” foi apresentado pelas alunas Adriela da Rosa Dias e Amanda Costa Tolfo, sob orientação da professora Mariany Fernandes, e fala sobre o Método FAMACHA, que é aplicado como uma ferramenta de ensino em ovinos e visa preparar os estudantes para se tornarem profissionais qualificados tanto para o mercado de trabalho como para a própria produção rural.

Conforme é mostrado no trabalho, utilizando o FAMACHA, é possível aumentar os índices de produtividade, e este é o método mais indicado para o controle seletivo em regiões onde o verme predominante é Haemonchus contortus, que, ao se alimentar do sangue dos animais, causa diferentes graus de anemia.

O outro trabalho, “Guasqueria, a Arte Gaúcha do Couro: um olhar sustentável voltado à produção de peças em couro cru”, foi desenvolvido pelos alunos Emily de Melo Batista, Guilherme Oliveira Jacobsen e Tamiris Alves da Silva, orientados pelos professores Patrícia Dias e Paulo Roberto Benites.

Segundo a descrição do trabalho, guasqueria, deriva da palavra ‘huasca’, pertencente a língua quéchua, que descende da antiga civilização Inca e significa ‘tira de couro’, podendo ser compreendida como o saber fazer manual que utiliza o couro cru como matéria prima para criar diferentes peças com diversas utilidades.

A pesquisa avalia a rentabilidade da produção e da comercialização de peças em couro cru, e foi realizada a partir de investigações de preços das matérias-primas, calculando a média do preço de três fornecedores.

Informações e foto: Ascom/13ª CRE