Caçapavana joga campeonato pela sub-16 das Gurias Coloradas

A jovem de 16 anos, Marília Valmarath Dorneles, concedeu uma entrevista exclusiva à Gazeta, onde contou detalhes da sua trajetória no futebol e também falou sobre a experiência que teve no Internacional

Por Luiz Felipe de Oliveira

WhatsApp Image 2024-04-09 at 21.47.32
Crédito: Matheus Pé

A categoria sub-16 das Gurias Coloradas disputou a Liga de Desenvolvimento 2024, que ocorreu entre os dias 02 e 08 de abril. Nesta edição, a equipe contou com uma volante e zagueira caçapavana, Marília Valmarath Dorneles, que foi escalada para jogar o campeonato. A jovem, de 16 anos, concedeu uma entrevista exclusiva à Gazeta, onde contou detalhes da sua trajetória no futebol e também falou sobre a experiência que teve no Internacional. Confira:

1 – Como começou a sua relação com o futebol?

Começou na época da escola quando tinha jogos escolares.

2 – Em que momento você chegou à conclusão de que queria ser jogadora?

Desde pequena eu sempre quis ser jogadora de futebol, mas não tinha muitos recursos para isso em Caçapava. Então, em 2021, pude focar nesse sonho, pois tive apoio de outras pessoas para que eu conseguisse me desenvolver.

3 – Como você chegou ao Internacional? Em que ano? Cheguei no Internacional em agosto de 2023, por intermédio do contato do meu preparador físico com a preparadora física do Inter. Fiquei fazendo testes por uma semana e deu tudo certo; em setembro, mudei para Porto Alegre e comecei os treinos.

4 – Antes do Inter, onde você jogou? Antes eu só jogava futsal em alguns times de Caçapava e da região: Prosoccer, Águias Douradas, Manchester e Tattoaria, de Santana da Boa vista.

5 – Como é a sua preparação para os jogos? Você tem algum ritual, mania ou superstição? Sempre procurei me alimentar bem e me manter hidratada. Também gosto de escutar música, porque isso me acalma bastante.

6 – Você estuda? Se sim, como é conciliar os estudos com os treinamentos? Sim, estudo. É bem complicado porque o tempo é corrido, mas tendo uma rotina organizada é bem fácil de conciliar tudo, pois estudo pela manhã e tenho treinos no período da tarde. Então já deixo as refeições prontas na noite para que, no intervalo do meio-dia, seja tudo mais prático.

7 – Tem algum(a) jogador(a) que te inspira? Qual? Por quê? Sempre me inspirei muito no Cristiano Ronaldo, por tudo que ele fez pra chegar onde está hoje, sou muito fã dele.

8 – Como é a rotina dos treinos? Nossos treinos são de segunda a sexta, mas tem semanas que treinamos no sábado também.

9 – Qual o seu principal objetivo na carreira, aquele que, quando você alcançar, poderá dizer que está realizada? Conseguir ser convocada para a seleção brasileira, sempre será meu maior objetivo.

10 – Em 2019, com a Copa do Mundo feminina na França, tivemos o boom mundial do futebol feminino, e muitas pessoas começaram a acompanhar a modalidade. Você costuma assistir aos jogos dos campeonatos que ocorrem no Brasil? E de outros países, você acompanha algum? Se sim, qual? Sim, o Brasileirão é o que eu mais acompanho daqui, e, de fora, um pouco da Liga Espanhola.

11 – Sabemos que as Gurias Coloradas não conseguiram passar para a segunda fase da Liga de Desenvolvimento 2024. O que fica de aprendizado para você e para o time? Mesmo não conseguindo passar para a segunda fase, valeu muito. Pois levamos como aprendizado o companheirismo do time, a garra por não desistir nunca e também a oportunidade de poder compartilhar momentos que foram únicos. Agora, é seguir treinando para obter melhores resultados nas próximas competições.

                                                                                                                                                                                                                  Fotos: Matheus Pé