Cotrisul põe em operação novo drone

Objetivo é ter uma pulverização mais precisa de defensivos. Modelo tridimensional orienta operação e permite aspersão árvore a árvore na olivicultura

Cotrisul_inicia operação de novo drone
Crédito: Cotrisul/Divulgação

A Cotrisul colocou em operação, neste mês, um novo drone. O equipamento é usado para aplicar defensivos agrícolas, sob demanda dos associados, e permite um serviço mais preciso, adequado tanto para as lavouras de grãos, quanto para outros cultivos. Quem explica é o técnico Felipe Guadagnini Leite:

– Na última semana de dezembro, recebemos um drone T40, que opera em conjunto com outros dois equipamentos, o drone Mavic 3 Multiespectral (que carrega uma câmera infravermelho) e a Base RTK, que dá o posicionamento exato. Com isso, poderemos fazer aplicações a taxas variáveis. Ou seja, fazer pulverizações mais localizadas, de acordo com as necessidades de cada parte da lavoura.

Outra possibilidade trazida pelo novo drone é o atendimento a cultivos de oliveiras e de nogueiras, com aspersão de produtos árvore a árvore. Isso ocorre porque os equipamentos, atrelados ao computador, criam modelos tridimensionais que aumentam a precisão.

Com o T40, o volume de produto aplicado tende a se reduzir, assim como a deriva é menor que quando comparada à aplicação por aviões.

– O produtor tem outro ganho, que pode chegar a 5% da lavoura, quando deixa de entrar com o trator e evita o amassamento das culturas – aponta Leite.

O novo drone adquirido pela Cotrisul tem capacidade para aplicar 40 litros por voo, o suficiente para cobrir três hectares de lavoura, além de ter a possibilidade de usar um tanque especial para a aplicação de sólidos. A cooperativa conta, também, com uma pré-mistura de 130 litros e um gerador móvel DJI, o que torna o reabastecimento mais rápido.

Atualmente, a Cotrisul tem quatro operadores habilitados com o curso de aplicador agrícola remoto e oferece o serviço de aspersão por drone aos associados de toda a sua área de atendimento, que inclui os municípios de Caçapava, Cachoeira do Sul, Santana da Boa Vista, Piratini e Lavras do Sul.

Texto: Clarisse de Freitas/Ascom Cotrisul – adaptado