Foi acaso ou planejado

Tudo estava previsto no céu? E a questão do livre-arbítrio? Se nós é que escolhemos nosso caminho, como Deus vai interferir?

Nascimento e morte no céu se detalham. É um dito popular controverso. Dizer que um morto estava na hora de morrer nem sempre é consolo. Há muita gente que parte antes da hora. Crianças, jovens, pessoas saudáveis… Um acidente, contágios de doenças letais, homicídios e suicídios. Tudo estava previsto no céu? E a questão do livre-arbítrio? Se nós é que escolhemos nosso caminho, como Deus vai interferir?

Li certa vez, ou foi numa palestra que esse assunto foi abordado. Dois carros numa montanha, um subindo e outro descendo. A trilha muito estreita e pedregosa. Alguém lá no topo acompanha a cena sem nada poder fazer. Sua voz não é suficiente para alertá-los, perde-se no ar. Só pode ficar torcendo. Assim o autor do texto ou o palestrante exemplifica. Então, para que serve a oração?

Acredito na fé. Que Deus se compadece e, mesmo respeitando nossa vontade, decide dar um empurrãozinho, uma desviada, e nos salva no momento certo.

O que me aconteceu nas últimas semanas me trouxe essas reflexões. Alguns dias de muitas dúvidas e embaraços, eis que de repente começou tudo a dar certo, como se alguém tivesse aberto meus caminhos.

Planejando a comemoração do meu aniversário – os próximos, se houver, deixo a cargo dos parentes –, pensei fazê-la a mais prazerosa possível, com os meus familiares. E comecei a sentir que fui dirigida para os locais certos para encomendar o cardápio. Parece que já estavam à minha espera, e encontrei as pessoas mais amáveis e competentes para o serviço.

Ao chegarem os convidados, pude apreciar sua querida presença sem envolver-me com mais nada, a não ser gozar dos momentos de carinho e união. Mensagens e telefonemas dos ausentes queridos trouxeram-me, com muita intensidade, o seu contato, e as saudades lavaram minha alma. Senti que valeu a pena viver até agora. Tenho a família sonhada, os amigos companheiros, a fé, o amor e a esperança. Tudo isso, devo ao bom Deus que deu os necessários empurrõezinhos.