Instalação de campus do IFFar é discutida

Evento contou com a participação da comunidade local e de autoridades de Caçapava, Lavras do Sul e Santana da Boa Vista, além da reitora da instituição de ensino, Nídia Heringer

Crédito: Luiz Felipe de Oliveira/Gazeta de Caçapava

A Assembleia Legislativa do Estado promoveu uma audiência pública, na noite de quarta-feira (27), para debater a instalação de um campus do Instituto Federal Farroupilha (IFFar) em Caçapava. O evento, proposto e mediado pelo deputado estadual Valdeci Oliveira (PT), ocorreu no Instituto Municipal de Educação Augusta Maria de Lima Marques e contou com a participação da comunidade local e de autoridades de Caçapava, Lavras do Sul e Santana da Boa Vista, além da reitora da instituição de ensino, Nídia Heringer.

Em suas falas, os prefeitos Garleno Alves (MDB), de Santana, e Sávio Prestes (PDT), de Lavras, declararam apoio à instalação do campus em Caçapava e disseram considerar a cidade parte de uma área estratégica, que poderá beneficiar a todos.

Também foram apresentados vídeos que destacavam as potencialidades dos três municípios, com ênfase nas áreas de Turismo, Cultura e Mineração, e gravações de relatos de funcionários do comércio local, que justificaram por que Caçapava deve ser escolhida para receber um dos novos campus do IFFar.

Por sua vez, a reitora Nídia Heringer falou sobre a instituição que dirige e as possíveis áreas tecnológicas que devem contemplar Caçapava, como Turismo, Hospitalidade e Lazer; Produção Industrial e Alimentícia; Ambiente e Saúde; e Infraestrutura. Ela também informou o que o município deve fazer para que seja possível instalar um campus do IFFar aqui: enviar uma carta ao Ministério da Educação, declarando suas intenções e oferecendo uma edificação já existente ou terreno para construção; viabilização do transporte público até o campus; segurança, internet e demais itens de infraestrutura.

Já o prefeito Giovani Amestoy (PDT) abordou o que a Administração Municipal está planejando oferecer para que Caçapava seja contemplada com o campus. Sobre a edificação, ele destacou algumas opções, como o prédio do antigo Fórum, que está em reforma e a Prefeitura espera receber do Tribunal de Justiça até o início de 2024; a área do Forte D. Pedro II, que pertence à União, mas pode haver uma negociação com o Governo Federal; e a sede da Prefeitura.

– Se eu, ou outro prefeito, tiver que ficar em prédio alugado para funcionar uma universidade, o prédio fica sim à disposição. Isso mostra que não vai ser por falta de espaço que vamos deixar de implementar o campus aqui no nosso município – declarou.

No caso do transporte público, Amestoy disse que, apesar das dificuldades que a Prefeitura enfrenta, acredita poder expandir a prestação do serviço, a partir da demanda que o IFFar impõe ao município. E na área da segurança, afirmou que trabalhará com a Brigada Militar e demais órgãos responsáveis.

– Quero colocar o Executivo e o Legislativo de Caçapava, Lavras e Santana da Boa Vista à disposição daquilo que o Instituto precisar para ser implementado aqui em nosso município, atendendo toda a região que quiser se qualificar através de uma educação pública de qualidade – finalizou.