Meteoros são frequentes no céu da Fronteira e Sul

Aqui em Caçapava, que eu saiba, não temos registros em vídeos, mas testemunhas viram pequenas explosões, algumas com cores esverdeadas, que duram em torno de dois segundos e que lembram um pequeno trovão

Nas regiões da Fronteira e do Pampa, Uruguaiana, Bagé, incluindo municípios do entorno de Caçapava, em direção à Lagoa dos Patos, Pelotas, têm ocorrido frequentes explosões no céu, algumas com registros em vídeos e em câmeras de monitoramento. Claro que com o aparecimento das filmadoras dos celulares estes registros são facilitados e se tornam mais frequentes.

Lembro que meteoros possuem muitas origens, como o lixo espacial, restos de foguetes e satélites, e também a sujeira espacial, quando a Terra os atrai e queima na atmosfera. Alguns detritos podem atingir o solo, denominados de meteoritos.

Um exemplo tem sido os casos de explosões no céu na região próxima à cidade de Bagé. Como ocorreu em outubro de 2021, quando tremeram vidraças no centro de Bagé e foi ouvido um grande estrondo, como um trovão, escutado também em Hulha Negra e Candiota. Na internet há outros registros, como em 24 de novembro de 2021 e 24 de dezembro de 2020. A Maioria desses fenômenos, são registrados em vídeos pelo Observatório Astronômico de Taquara, o Heller & Jung, que possui inúmeras câmeras com dezenas de registros. Bem que poderíamos ter uma dessa aqui no município. Quantos casos em nosso céu conseguiríamos registrar!

Aqui em Caçapava, que eu saiba, não temos registros em vídeos, mas testemunhas viram pequenas explosões, algumas com cores esverdeadas, que duram em torno de dois segundos e que lembram um pequeno trovão. Uma dessas eu testemunhei lá por junho de 2022. Os meses de inverno aqui em nosso município costumam registrar alguns eventos dessa natureza.

Lembrei agora que, na data de 6 de junho de 2021, um pequeno meteorito caiu no telhado de uma casa, às 22h 30m, furando o teto e quebrando três lajotas do piso do banheiro. A dona da casa estava só. Tentou pegar a estranha “pedra” e estava quente. Mas quedas de meteoritos no perímetro urbano de Caçapava vou descrever em outro artigo, porque são fatos que guardo com todo o cuidado, pois podem ficar no esquecimento, e conseguem auxiliar para despertar a curiosidade científica na população escolar e em geral. Lembro que temos materiais que caíram aqui, tornando-se o nosso primeiro meteorito, com registro internacional.

Agora a moda é restos de foguetes caindo quase todas as semanas. Já escrevi em outros textos, que aguardo um fenômeno semelhante ao ocorrido em Bagé, aqui em nosso município. Se explode em Bagé pode vir um para nós. Penso que é só questão de um breve tempo. Alguém pode pensar: “que caia na tua cabeça”. Se tiver que cair, que caia. Sigo então nas orações, pelo Caminho do Bem.