Compartilho com vocês, queridos leitores, um texto que não é de minha autoria. Esse texto foi escrito pelo colega e amigo Pe. Nelson Lara da Rosa, e nos ajuda a refletir sobre a morte, que a muitos assusta, e a outros nem tanto.

 

Morte, fim último do ser humano. A morte é inevitável, alguns até vivem como se nunca fossem morrer. Tem gente que faz planos para muitos anos, sonhos de riquezas, poder, cargos elevados, prazer a qualquer custo e muitas outras coisas, vivem como que fossem ser eternos neste mundo. Alguns até querem escolher o dia e o jeito de morrer, não se dão conta que a vida é emprestada, não lhes pertence, e se acham donos dela.

Alguns se dão ao luxo de pedir a Deus saúde para poder desfrutar cada dia mais de modo prazeroso para as delícias deste mundo e, quando se dão conta, já estão chegando perto do fim, e nada do que conquistaram valeu a pena, pois só o que realmente vale a pena é quando temos Deus no centro da nossa vida.

A carne, os ossos vão voltar a sua forma terrena e ao pó da terra se misturarão, apenas a alma vai receber um novo corpo e daí a eternidade, o para sempre acontecerá. Levaremos aquilo que não trouxemos, nossas atitudes, gestos de amor, como tratamos os outros, como praticamos a vontade daquele que nos enviou, isso será cobrado, o resto não importa mais.

Devemos viver sempre como se fosse o último dia de nossas vidas. Se sentir vontade de abraçar, abrace; se sentir vontade de dizer que ama, diga; se magoou alguém, peça perdão; se te magoarem, perdoe, mas jamais deixem de praticar o amor e a caridade, pois é na forma de amar que nos aproximamos de Deus. Ame sempre, mesmo que o outro não queira, quem ama nunca se arrepende de ter amado, quem não ama sempre vai perder, o amor nos santifica, nos torna divinos diante de Deus.

Não cultive o ódio, mesmo que te façam mal, este sentimento não vem de Deus, e tudo que nos afasta d’Ele não é bom. Não sabemos o dia e nem a hora, sejamos vigilantes para que Deus, ao nos chamar, diga: eu estava te esperando.

Um dia abençoado a todos!