Os 160 anos de Coriolano Castro e o Centenário da Revolução de 1923

Por Zilamar Teixeira de Carvalho Ferreira*

Neste ano, comemoramos o Centenário da Revolução de 1923, em que Coriolano Castro teve efetiva participação, fazendo parte do Estado Maior de Zeca Neto e de Estácio Azambuja

Crédito: Divulgação

Os caçapavanos e os santanenses não poderiam deixar de lembrar esta data, 26 de setembro, o dia do aniversário do Coronel Coriolano Alves de Oliveira e Castro, que se fosse vivo estaria completando seus 160 anos. Ele nasceu em 1863.

A importância dele para nossa região, no final do século XIX e início do século XX, foi primordial para o desenvolvimento e a organização do Município de Caçapava. Segundo os jornais da época, era um excelente administrador. Foi eleito para governar Caçapava por três mandatos, sendo dois como Intendente: de 1902 a 1906 e de 1925 a 1929, e o último, como Prefeito, de 1937 a 1939, quando veio a falecer.

Em seus governos, priorizou a educação, a saúde, o meio ambiente e a infraestrutura, e incentivou o desenvolvimento e, principalmente, a mineração, época em que foram abertas as Minas do Seival, do Bom Jardim e do Camaquã. Na época, uma das principais fontes de renda de Caçapava era a cal e a pecuária. As duas primeiras pontes do município foram construídas em seu governo, a ponte do Arroio Santa Bárbara e a da Pitangueira. Em um consórcio com outros municípios, pleiteava uma rodovia e uma ferrovia, que ligasse o Porto de Rio Grande a Santa Maria, passando por Santana e Caçapava. Hoje, temos a BR 392. Também, fazia parte das reivindicações uma estrada que ligasse a Capital do Estado a Montevidéu, passando pelo Município de Caçapava. Atualmente, temos a BR 290.

Coriolano Castro era Coronel da Guarda Nacional e comandava a 62ª Brigada de Infantaria da Guarda Nacional do Rio Grande do Sul, responsável por preservar a ordem, proteger as cidades, as vilas e o interior dos municípios, e defender as fronteiras do país. Ele descendia de uma família portuguesa açoriana, de militares, que vieram para o Rio Grande de São Pedro para proteger e povoar o território português. Os Dragões de Rio Pardo fizeram parte da fundação da cidade de Caçapava.

Como Caudilho, Republicano e Liberal, se envolveu em várias revoluções: a Federalista, de 1891 a 1896; a de 1923; e a Constitucionalista de 1932. Neste ano, comemoramos o Centenário da Revolução de 1923, em que Coriolano Castro teve efetiva participação, fazendo parte do Estado Maior de Zeca Neto e de Estácio Azambuja. Em seu diário, registrou os acontecimentos do Movimento Revolucionário deflagrado por Assis Brasil, em janeiro de 1923, contra a reeleição de Borges de Medeiros.

Durante a Revolução de 1923, Coriolano Castro comandou o 4º Regimento da 3ª Companhia do Exército Libertador, fazendo parte da Coluna do General Estácio Azambuja durante o Combate do Passo da Juliana, em 06 de junho de 1923. Neste Combate, o Regimento comandado por Coriolano Castro fez a retaguarda, entrando em combate com a vanguarda das tropas  legalistas. No comando da 5ª Brigada do 4º Corpo do Exército Libertador, comandado pelo General Zeca Netto, participou da Tomada de Pelotas, em 29 de outubro, conquistou o Pavilhão Agrícola e o Lyceu de Artes e Ofícios, que servia de trincheira para o Corpo Provisório Local sob o comando de Adrovando Leão.

Embora fosse um homem com formação militar e grande experiência nas revoluções, sua maior característica era a de mediador, procurando apaziguar e resolver as situações de forma que agradasse a todos, dentro das possibilidades. Tinha uma enorme responsabilidade social e procurava alternativas para o progresso de Caçapava.

No seu Jazigo, no Cemitério Municipal de Caçapava, consta uma homenagem que resume sua vida!

Um guerreiro pela Liberdade!

Um político pela igualdade!

Um líder pela fraternidade!

Referência: CASSOL, Arnaldo Luiz; ABRÃO, Nicolau Silveira. Coronel Coriolano Castro. Porto Alegre. Martins Livreiro, 1983.

*Zilamar Teixeira de Carvalho Ferreira é santanense e mestranda do Programa de Pós-graduação em História, da Universidade Federal de Santa Maria