Paz sim! Guerra não!

Sabemos que gentileza gera gentileza. Violência gera violência. Qual é a parte que ainda não entendemos ou fingimos não entender?

Mais uma vez, fomos surpreendidos com a notícia de uma guerra, dessa vez entre o Hammas e Israel. Enquanto nossas atenções estavam voltadas para a interminável guerra entre a Rússia e a Ucrânia, eis que mais um conflito armado se estabelece.

É importante que compreendamos que o grupo Hammas não pode ser confundido com o povo palestino. Também não é novidade que a Faixa de Gaza é alvo de uma disputa entre palestinos e israelenses que se estende por longos anos. Sem entrar no mérito da questão em relação a quem tem direito sobre esse pedaço de chão sagrado, o que me preocupa é o fato de, mais uma vez, milhares de inocentes pagarem pelo preço da guerra.

Ontem, olhando postagens do YouTube, me chamou a atenção uma frase sobre a guerra que dizia o seguinte: “Na guerra, jovens que não se conhecem, não se odeiam e se matam. Adultos que se conhecem e se odeiam e não se matam!” Quantos são os jovens, cheios de sonhos e vontade de viver, que são obrigados a matar sem vontade de fazê-lo, correndo o risco de serem mortos a qualquer momento.

Sempre que estamos diante de uma guerra, pensamos sobre a importância da paz. O diálogo franco e honesto entre as partes envolvidas sempre traz uma possibilidade de paz. Sabemos que gentileza gera gentileza. Violência gera violência. Qual é a parte que ainda não entendemos ou fingimos não entender?

O mundo, as pessoas, nós não gostamos de guerra. Nós precisamos que todos os povos vivam em paz. A paz faz bem ao nosso coração. Viver em paz é o anseio de cada coração humano. Sejamos, portanto, semeadores e promotores da Paz!

Desejo que o bom senso e o entendimento prevaleçam sempre. Guerra nunca! Paz sempre! Grande abraço e desejo de paz!