A vida é feita de momentos, e para ser feliz, é preciso que a pessoa tenha consciência deles e saiba curti-los. De manhã, ao abrir a janela do quarto e admirar as flores como estão bonitas, apesar da seca, das formigas e das lesmas! É uma graça que se deve comemorar. Também, abrir a torneira do chuveiro e ver a água jorrar, que banho gostoso!

Há pessoas que acordam de mau humor. Alguém lhe pergunta: “Dormiu de pés destapados?” E não deixa de ter razão. Pois uma leve coberta de agasalho, quando sopra o vento da madrugada, é algo que lhe daria mais gosto ao despertar.

Nas refeições, gosto de conversar e ouvir quem se senta comigo à mesa. Há sempre fatos novos ou velhos para comentar, como o paradeiro de pessoas que foram bem próximas de nós e não sabemos aonde foram. E coisas curiosas nos vêm à lembrança, fazendo-nos rir ou sentir saudades.

Fui acostumada, na casa de meus pais e também lá nos Dindos, a um lugar certo à mesa, na hora certa – meio-dia para o almoço – e a sentir-me rodeada de familiares e afins. Seguidamente havia visitas de primos, tios ou pessoas amigas de passagem, e os assuntos eram variados e cheios de surpresas. Cada comensal com sua bagagem de vida itinerante. Mas agora, minha mesa também fica cheia – pelo menos virtualmente –, porque as mensagens dos filhos não faltam a essa hora, quando trocamos até imagens dos respectivos cardápios.

Outro prazer são as longas conversas, pelo celular, com amigas. Desenterramos velhas histórias e vamos fundo até descobrir o que foi feito de nossos antigos colegas, vizinhos, conhecidos. Se fosse pelo sistema antigo, quando os telefonemas eram cobrados pelos minutos utilizados, ai de nós! Que fortuna cobrariam!

Quando recebo vídeos de cenas com nossos mimosos bisnetinhos – meus sobrinhos-bisnetos –, é um prazer que não consigo curtir sozinha, tenho de exibi-los a todos que estão próximos. E peço sempre mais vídeos e fotos para as vovós-corujíssimas!

E assim vamos vivendo, nestes suaves dias de março, dando graças a Deus por esses pequenos milagres de cada dia.