PP aposta em Marcelo Spode para a Prefeitura

Em entrevista à Gazeta, o pré-candidato fala sobre a motivação para concorrer a prefeito e o que planeja para sua administração, se eleito

DSC_0110
Crédito: Luiz Felipe de Oliveira / Gazeta de Caçapava

O empresário Marcelo Spode foi lançado como pré-candidato a prefeito de Caçapava pelo Progressistas (PP), na sexta-feira (08). Em entrevista à Gazeta, o caçapavano, de 57 anos, falou sobre os motivos que o levaram a colocar seu nome à disposição do partido para a disputa e revelou alguns de seus planos de governo, se eleito.

Sobre suas motivações, Spode contou que deseja retribuir à comunidade o acolhimento que Caçapava deu para a sua família.

O meu pai não era daqui, ele veio de São Pedro do Sul em 1959, alugou um forno e montou uma indústria. Minha mãe faleceu em 1976, nós éramos jovens, e a comunidade nos acolheu. Sou um cara que nasceu e morou aqui a vida toda aqui. Até pensei em morar fora, mas, por causa da família e dos amigos, não consegui deixar Caçapava – disse.

Outro motivo destacado por Marcelo foi sua experiência no ramo da indústria.

Conheço, hoje, toda a atividade de mineração de calcário em Caçapava, a questão de transporte rodoviário, de agricultura, pecuária. Visitei muitas feiras, em muitos países, e os maiores parques do mundo. Nestas viagens, percebi que Caçapava tem um grande potencial adormecido. Muitas vezes, há oportunidade, mas o pessoal não a enxerga e deixa passar – comentou.

O empresário citou o exemplo da empresa Nexa Resources, do Grupo Votarantim, que em 2022 desistiu de abrir uma mina para extração do cobre.

Como é que faz essas empresas gerarem renda? Agiliza a questão dos alvarás. É claro que tem de cumprir regras, mas temos de ser mais rápidos. Quando chega uma empresa que quer se estabelecer em Caçapava, temos de ter um prazo rápido, porque o momento é aquele. A Nexa queria se estabelecer, era o momento, mas hoje não vai mais – explicou.

Sobre a infraestrutura de Caçapava, Spode revelou que muito tempo sonha com a melhora dos espaços públicos. Em sua visão, com a evolução tecnológica da sociedade, esses lugares são importantes para a troca de informação, cultura, religião e conhecimento. A melhoria dos bairros também está em seus planos.

Há bairros em Caçapava que nunca foram pavimentados. Há casas que estão a um metro da altura da calçada. Vai ser muito difícil corrigir isso, mas precisamos enfrentar. Tudo tem que convergir a uma única política: melhoria da qualidade de vida. Um exemplo: se tu faz uma calçada até a Escola Patrício, daqui do asfalto até lá; uma calçada da entrada da cidade até o Cônego; uma calçada daqui até a Aviação, dos dois lados, não melhora o ambiente? Nós vamos começar a levar o desenvolvimento para os bairros. Isso começa a gerar autoestima para a comunidade – salientou.

As áreas da Saúde e da Educação também serão prioridade para Marcelo Spode, que as considera parte fundamental para se ter qualidade de vida.

Quando se fala em melhoria de qualidade de vida, há algumas coisas que eu levo como princípio. Qualidade de vida não é riqueza, é a pessoa estar bem consigo mesma, com sua família, com sua comunidade. Como é que se constrói isso? Melhorando a autoestima das pessoas, dando acesso à escola, mobilidade urbana, informação. Para as pessoas que sonham em ter seu próprio negócio, dar condições para que possam gerir ele. Ter uma saúde do primeiro mundo, que nós precisamos muito. Quando falamos em saúde, estamos falando em saneamento, reciclagem de lixo, sustentabilidade, postura do cidadão – pontuou.

Questionado se daria continuidade a projetos que estão em andamento, como a construção de um campus do Instituto Federal Farroupilha (IFFar), a Casa do Estudante Universitário e o Geoparque, Marcelo afirmou que todos serão continuados.

Só não serão se, em algum momento, detectarmos alguma irregularidade. Sou apaixonado pelo turismo. Durante o tempo das Minas do Camaquã, chegamos a receber 10 mil turistas do Brasil. Tenho muita experiência na área. Também acredito na Educação, acho que é algo que precisa ser potencializado. Quando digo isso, é porque acredito que a população precisa estar inserida nesse processo, com arte popular, cultura, teatro, debate e pesquisa. A Casa do Estudante é importantíssima. Pretendo fazer um levantamento disso para que nunca se perca nenhum prazo. Vamos criar departamentos para cuidar justamente desses projetos, para não perdemos nenhum – afirmou.

Para Spode, Caçapava precisa de uma gestão com mais diálogo, para que os problemas sejam resolvidos em sua causa. Por isso, se eleito, pretende promover a união de todos os seguimentos da sociedade, para resolver, em parceria com a comunidade, os problemas do município.

Acho que esse é o momento de aproveitar alguém que tem a capacidade de gerir, de pegar tudo isso e transformar em oportunidade para a nossa população. Esse é o nosso principal objetivo, junto a todos os partidos. O que importa é a comunidade. Quero ser prefeito para organizar a cidade com a população, com o funcionário público – finalizou.