PP perde para o Republicanos?

William Brasil – Assessor de Imprensa

Ilson Tondo seria a aposta da nova sigla que está surgindo em Caçapava para pré-candidato a vice-prefeito. Esta possível baixa no PP pode, ainda, levar a outra

O ex-presidente do Progressistas, Ilson Tondo, figura histórica do partido e que já foi vice de Otomar Vivian, seria a aposta do Republicanos (nova sigla surgindo em Caçapava) para pré-candidato a prefeito. Esta possível baixa no PP pode, ainda, levar a outra: a do vereador Silvio Tondo, que não se sabe se apoiaria Marcelo Spode (pré-candidato a prefeito do PP) ou seu irmão, pelo Republicanos. Até parece a saga dos irmãos Gomes-PDT (Ciro e Cid), que romperam a irmandade por duelos de lados ideológicos distintos (esquerda/direita).

P.s.: após a publicação desta coluna, o presidente do PP, Dilvane Loreto, entrou em contato comigo para informar que Ilson Tondo não está mais filiado ao partido há dois anos. Pedimos perdão pelo equívoco. Quem também me procurou foi o vereador Silvio Tondo, que afirmou não haver possibilidade de deixar o Progressistas e ir para outro partido.

Briga interna no PL

Uma briga interna no partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, que rondou cidades da região, chegou a Caçapava e mexeu na estrutura do presidente Marcos Nottar. Há informações de que uma ala do partido, insatisfeita com outra e seus ideais, quer se separar. Da divergência, surgiu outro partido, o Republicanos, que está sendo construído por nomes como Joel Ribeiro e André Pimentel. Os novos Republicanos já convidaram Ilson Tondo para ser o pré-candidato a prefeito e apostam em nomes como os de José Jr (advogado, professor e diretor do Procon) a vice e, quem sabe, Joel e Silvio na Câmara! Informações indicam que a vereadora Patrícia Castro (atual secretária da Saúde) segue no PL, assim como o vereador suplente MC Mano.

Rivais históricos

O MDB e o Progressistas (antigo Arena), rivais históricos desde a Ditadura de 1964 e que cogitaram estar em chapa juntos para prefeito e vice nas próximas eleições, parece, não estarão. Isso porque uma ala do PP não apoiaria a fusão da dupla Spode (pré-candidato a prefeito deles) e Taschetto (pré-candidato a seu vice). Taschetto, que foi candidato a prefeito no último pleito, tem sido uma aposta de outras siglas, e o nome do vereador Antônio Almeida Filho (Lelo) também tem aparecido como um possível pré-candidato do MDB na majoritária.

P.s.: após a publicação desta coluna, o presidente do PP, Dilvane Loreto, entrou em contato comigo para informar que não há contrariedade do partido quanto ao nome de Taschetto para ser o candidato a vice-prefeito em chapa composta com Marcelo Spode. Ele também disse que o Progressistas está aberto “a conversar com todos os partidos”.

Na Segunda

Os socialistas do PSB, que retomaram em janeiro as Lives de Segunda (às segundas-feiras) e que ficaram com o segundo lugar nas eleições passadas, seguem em campanha com o pré-candidato Darlan Freitas a prefeito. Na última live, ele tentou “matar dois coelhos com uma cajadada só”, falando mal das ações do Turismo (pasta da qual ele foi secretário no governo do Coronel). Isso porque dois dos nomes citados como possíveis pré-candidatos (e oponentes dele) que aparecem nas rodas, Spode (já lançado pelo PP) e Stener Camargo (que pode ser a aposta do PDT), podem ser rivais de debate logo ali, na campanha eleitoral que inicia em agosto. Oigaletê!

Janelas 1

Como dito na coluna anterior, estão abertas as janelas partidárias. Apesar da possibilidade baixa de trocas de partidos por parte de componentes do “primeiro escalão” de vereadores e secretários, algumas peças (suplentes) já estão se movimentando na corrida eleitoral. Também vale ressaltar que, em breve, pode haver a saída de possíveis candidatos a vereadores e à majoritária do governo. Quem sair certamente é pré-candidato a algo!

Janelas 2

Também vale ficar de olho, nas próximas semanas, em encontros (aproximações) de partidos em busca de construir coligações. Partidos como PSol e Novo (sem representantes eleitos) devem reaparecer nas rodas de conversa para fortalecer o tempo de propaganda e o apoio partidário e financeiro. PSDB, PT e União Brasil (que têm lideranças) também são peças fundamentais nos apoios. E o atual partido do governo, o PDT, diz que já tem seu nome à majoritária. Em breve saberemos!