A técnica de projetar o futuro é recheada de crendices e de maneiras para desvendar os cenários futuros. Nada é certo, mas pode acontecer! Os meteorologistas colocam os seus conhecimentos à prova em contraste com os velhos ritos de prever o tempo olhando as manifestações da natureza. É o movimento das nuvens, o comportamento dos animais, etc. Também em economia, tudo é muito difícil, e quanto mais longo o horizonte, maior é a possibilidade de erro. Mesmo assim, as previsões servem para uma tomada de posição e para estar preparado para o que vier. Neste caso, sempre é bom ter na manga um plano B. Em março do ano passado, com o primeiro fecha tudo, a economia desandou, e as previsões indicavam queda no PIB de mais de 10%. Aí a coisa foi passando, surgiram boas notícias em relação às vacinas, a economia voltou a respirar, e o negativo foi de apenas -4,1%. O final do ano indicava que o crescimento seria de mais de 2%. Vieram novas variantes da Covid-19, internações em ritmo acelerado, caos nos hospitais, voltou o fecha tudo, e as nuvens negras tomaram conta do país, despencando os números. Ninguém poderia prever esta onda mais letal. Mesmo com a vacinação, fica difícil a certeza do que pode acontecer neste ano de 2021, mas é importante a previsão.

 

Índices de confiança

Os índices de confiança são elaborados através de respostas dadas às sondagens regulares realizadas por institutos de pesquisas ou instituições. Eles servem para embasar as projeções sobre o comportamento da economia. O primeiro deles foi criado no ano de 1940 pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, com o objetivo de captar a percepção do consumidor quanto às condições econômicas do país. Hoje, aqui no Brasil, eles já são bastante utilizados.

 

Índice de Confiança do Empresário Industrial

Dados do mês de março da Confederação Nacional da Indústria registraram que o empresário da indústria teve uma forte queda na confiança da atividade. Foi a terceira maior queda do indicador (-5,1%), piorando a percepção dos empresários sobre as condições atuais e também sobre as expectativas futuras. Ficou abaixo apenas da queda de junho de 2018, na paralisação dos caminhoneiros, e em abril de 2020, no inicio da pandemia. Mesmo assim, ficou em 54,4 pontos. Dados acima de 50 pontos significam que os empresários ainda estão confiantes. A confiança, ela ainda existe, já foi maior, mas está caindo rapidamente. Os empresários percebem que existe uma piora nas condições atuais, o que pode prejudicar seus negócios futuros.

 

Índice de Confiança dos Empresários do Comércio

Os últimos dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo mostram a quarta queda consecutiva do indicador, que atingiu 103,6 pontos numa escala de zero a 200. Se comparado com março de 2020, este foi 19,3% menor. Segundo os empresários, a continuidade do abre e fecha e a demora do novo auxílio emergencial trouxe uma insegurança ao setor. Fica claro que, mesmo com os avanços do mundo digital, a dependência das vendas presenciais é enorme. A confiança do setor no curto prazo está abalada.

 

Índice de Confiança do Consumidor

Em março, houve uma piora acentuada na percepção do consumidor tanto no momento presente como também em relação aos próximos meses. O pessimismo em relação ao ambiente econômico leva a uma insegurança nas finanças familiares, com receio da perda de emprego. Isto aumenta a cautela dos consumidores, e reduz o seu ímpeto para as compras. A análise por faixas de renda indica que os mais pobres têm menos confiança para consumir no curto prazo.

 

Por todos os lados

Nesta analise, ficou exposta a expectativa do setor produtivo, do setor de vendas e do lado do consumo em relação à confiança na economia nos próximos meses. Todos estão demonstrando que o momento atual é de incerteza, principalmente no curto prazo. Existem apostas no segundo semestre, quando as vacinas já terão atingido um grande contingente da população, encorajando o trabalho, e os efeitos do auxilio emergencial já estarão apresentando resultados. Novamente, a aposta é no segundo semestre.

 

Pense

Não existe travesseiro mais macio do que uma consciência limpa.