Projeto entre a Casa de Cultura e a Gazeta divulga fotos antigas da cidade

Uma parceria entre a CCJT e o jornal está publicando imagens antigas da cidade. É uma forma de tirar estas fotografias dos arquivos e compartilhá-las com a comunidade. A galeria de imagens será atualizada todo sábado

Uma parceria entre a Casa de Cultura Juarez Teixeira e o jornal Gazeta de Caçapava está publicando, desde a semana passada, imagens antigas da cidade. É uma forma de tirar estas fotografias dos arquivos e compartilhá-las com a comunidade.

A galeria de imagens será atualizada todo sábado. Na semana passada, foram publicadas imagens do livro Caçapava, um olhar sobre o século XX, do pesquisador e diretor da CCJT, Juarez da Rosa Teixeira, referentes aos primeiros CTGs da cidade, em clima de Semana Farroupilha. A Casa de Cultura não possui fotos de todas as agremiações e busca outras fotografias para seu acervo. Quem tiver fotos de CTGs da cidade, pode entrar em contato pelo WhatsApp (55) 9 9696-1582. As imagens serão copiadas e devolvidas a seus proprietários.

De acordo com Juarez Teixeira, em 21 de agosto de 1954, nas dependências do recém-criado Ginásio de Caçapava, foi fundado o primeiro CTG da cidade, inicialmente sem nome definido. O nome da agremiação saiu de uma votação feita pela Rádio Caçapava e pelo jornal Folha do Sul. Depois de muitas sugestões e triagens, dois nomes ficaram na disputa: Sentinela dos Cerros e Sinuêlo da Liberdade, saindo o primeiro como vencedor.

Seu primeiro patrão foi o diretor do ginásio, o professor Augusto Della Santa, que tinha como capatazes Aristides Leão Dias e João Leão Dias. A primeira apresentação de Invernada Artística, sob a direção da professora Clara Haag, aconteceu no baile do ruralista, no Clube União, no dia 18 de setembro de 1954. Depois, o Sentinela ficou por algum tempo desativado. Posteriormente, com o início da construção da sede atual, as atividades retornaram de maneira ininterrupta até hoje.

Depois surgiram os CTGs Família Nativista, Pampa e Querência, Heróis do Seival, Sentinela do Forte, Ronda Crioula, Tropeiros do Picó, e Clareira na Mata. Este último foi fundado em 1974, graças ao trabalho de Antonio Dari Nunes, Elio Lopes, Pedro Ângelo Leandro Lopes, José Ventura Nunes, Rui Teixeira, Rubem Teixeira, Ivo Dutra, Renê Felix, Eronil Abreu da Silva, Nicolau Pereira Henriques e José Almiro Alves.

Criado para abrigar a comunidade negra e brancos de classes economicamente mais pobres, em especial os domiciliados no interior do município, que naquela época não eram “aceitos” nas demais entidades tradicionalistas, o CTG Clareira da Mata passou a ser referência para a população negra caçapavana, agregando vários grupos sociais. Tem a finalidade de divulgar a cultura regional, e hoje atua como agente de formação da cidadania, oferecendo ações de inclusão social por meio de diversas atividades realizadas pelo Ponto de Cultura.

BRIQUE DAS ESTAÇÕES – Como o tempo segue instável, transferimos o Brique diretamente para o primeiro sábado de novembro.