Pureza em vista da santidade

Pureza sempre foi um conceito central na história das religiões. Querendo ou não, o homem deseja aproximar-se puro do Deus puro

Para nos aproximarmos de Deus, precisamos fazer o esforço de estar com as mãos limpas e o coração puro. No anseio de pureza exprime-se a reverência perante o Deus totalmente diferente de nós. Deus é santo. Em todas as religiões existe a preocupação em orientar seus fiéis para uma vida mais pura. Tomamos consciência do que é puro quando entramos em contato com o núcleo autêntico de nós mesmos.

Pureza sempre foi um conceito central na história das religiões. Querendo ou não, o homem deseja aproximar-se puro do Deus puro. Diante da realidade atual, contaminada por muitas impurezas, muitas pessoas buscam pureza de caráter, procuram exemplos de homens e mulheres que sejam sinceros, sem segundas intenções, nos quais possam confiar.

Jesus, que sempre é modelo de pureza, fala de pureza e de ser puro. Luta, inclusive, contra os rigorosos preceitos de pureza dos fariseus que se preocupavam demais com as aparências exteriores. Jesus preocupa-se com a pureza interior do homem, com a sinceridade do coração, com o coração puro.

Numa certa ocasião quando foi criticado por seus discípulos não terem lavado as mãos para tomar a refeição, Jesus responde: “O que vem de fora e entra no homem não o torna impuro. As coisas que saem de dentro do homem é que o tornam impuro”.

A pureza não depende daquilo que eu como, do que ingiro, mas daquilo que sai de mim. É do interior, do coração do homem, que vem os pensamentos maus, os desregramentos, furtos, injúrias, adultério, cobiças, devassidão, inveja…

Vale lembrar, também, que Jesus disse: “Quem não se tornar como uma criança, não entrará no Reino dos céus”. A nós, cabe, portanto, cuidar bem do nosso coração para que a pureza habite nele e nos leve a viver uma vida mais santa.