Aprovação da primeira etapa da obra pelo Pró-cultura RS LIC foi confirmada na manhã de terça-feira (07). Enquanto esta fase é executada, deve ser elaborado o projeto da segunda etapa, que visa finalizar o restauro do prédio histórico

Quem, ao passar pela Rua Sete de Setembro, na esquina com a Borges de Medeiros, não olhou para a Casa de Ulhôa Cintra – mais conhecida como Casa dos Ministérios – e se preocupou com seu estado de conservação? Além de ser um prédio histórico que, aos poucos, desaparecia, o risco de desabamento também causava medo aos pedestres. Esse temor se agravou há quase 11 anos, quando boa parte da estrutura do telhado cedeu. Era a tarde de um sábado, 25 de fevereiro de 2012, e chovia forte.

Mas essa situação está prestes a mudar: na manhã de terça-feira (07), foi confirmada a aprovação da primeira etapa do projeto de restauro apresentado em 30 de novembro de 2022 pela Perene Patrimônio Histórico e Restauração Eireli junto ao Pró-cultura RS LIC (mecanismo de fomento indireto que oferece benefício fiscal para empresas que patrocinem projetos culturais aprovados). Com isso, já é possível começar a captar recursos junto a empresas não optantes pelo Simples Nacional, que podem utilizar até 20% do ICMS que pagariam para financiar a obra, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC). O prazo máximo para que essa captação seja concluída é 02 de fevereiro de 2024. As informações foram repassadas pelo secretário de Cultura e Turismo, Stener Camargo.

A Perene é especializada na gestão do patrimônio cultural e possui mais de 40 projetos em prédios pertencentes ao patrimônio histórico, artístico e cultural no Rio Grande do Sul. A direção geral é da arquiteta e urbanista Simone Neutzling, que há mais de 20 anos atua em projetos e obras de restauração e preservação do patrimônio.

Segundo a Assessoria de Comunicação da empresa, o projeto contempla ações de inovação e de educação patrimonial. “A proposta prevê, inicialmente, a execução de obras de restauração emergencial, recompondo, primeiramente, a geometria e as características originais do telhado, com o objetivo de impedir a degradação das estruturas internas”. Esta é a primeira etapa, que tem um valor autorizado de R$ 991.298,35.

Ainda de acordo com a Assessoria, o projeto completo inclui, também, a restauração completa, “abrangendo, além do prédio principal, as demais construções existentes no terreno. Prevê, ainda, atividades de educação patrimonial e a realização de oficinas de capacitação junto à comunidade, de forma a orientar e conscientizar a população acerca da preservação do patrimônio. O processo de restauração do imóvel possibilitará a devolução, para a comunidade, desse bem arquitetônico de importância histórica e cultural, permitindo, assim, a instalação de um espaço de memória da revolução farroupilha”.

As tratativas para o restauro da Casa dos Ministérios pela atual Administração iniciaram em janeiro de 2021. Num primeiro momento, foi considerada a possibilidade de uma parceria com o Instituto Cavaleiros Farroupilhas, mas, conforme o secretário Stener Camargo, esse projeto se tornou inviável, pois a Prefeitura não possuía recursos disponíveis para adquirir o imóvel, como previsto naquela proposta. Então, buscou-se uma nova alternativa que, espera-se, em breve possa ser colocada em prática. Esta prevê que a Casa dos Ministérios seguirá pertencendo aos atuais proprietários.

Camargo também explicou que, enquanto a primeira etapa é executada, será elaborado e submetido ao Pró-cultura RS o projeto da segunda e última etapa do restauro, que prevê toda a parte interna da Casa: hidráulica, elétrica, pintura e sanitária. Nesses dois momentos, a Prefeitura atuará como uma articuladora, auxiliando na busca de empresas patrocinadoras e no que mais for necessário.

Também segundo o secretário, a intenção é que, concluída a obra, a Casa dos Ministérios seja transformada, por pelo menos 10 anos, em um museu da Revolução Farroupilha. Para isso, não está descartada uma parceria com o Instituto Cavaleiros Farroupilhas.

Outros projetos de Cultura e Turismo em Caçapava

A poucos meses da decisão da Unesco sobre a concessão do título de Geoparque à Caçapava, o Município trabalha em diversas ações que visam preservar o patrimônio histórico e fomentar o turismo. Segundo o secretário Stener Camargo, já está em andamento a execução do projeto do centro de atenção ao turista das Guaritas, que consiste na reforma da Associação de Moradores da localidade. Foram repassados R$ 50 mil, incluindo emendas impositivas e uma contrapartida da Secretaria.

Sobre o Geoparque, Stener informou que está sendo colocada uma nova sinalização turística, e que, na segunda-feira (06), havia participado de uma reunião com o secretário Estadual de Turismo, Vilson Covatti, para tratar sobre o Centro Interpretativo, que, inicialmente, seria instalado no Clube Recreativo 1º de Maio. Porém, em reunião com os sócios patrimoniais, não foi aceita a proposta apresentada. Agora, é preciso encontrar um novo local para instalá-lo. Uma possibilidade é a Praça Mathias Campos Velho, aos fundos do CTG Sentinela dos Cerros, que seria revitalizada; outra é o Parque da Fonte do Mato. O Centro tem de estar pronto em até quatro anos, conforme consta na documentação enviada à Unesco. Se isso não for cumprido, Caçapava correrá o risco de perder o selo de Geoparque.

Outro projeto que está sendo articulado é o do restauro do Cine Rodeio, em Minas do Camaquã. Já foram iniciados contatos com as Secretarias Estaduais da Cultura (Sedac) e do Meio Ambiente (Sema) em busca de recursos. Ali, conforme Stener, pretende-se instalar um museu da mineração.

– Já temos todo um planejamento urbano do entorno, com o restauro também da praça, um estacionamento, pracinha infantil e café – informou o secretário.

Como deve ficar o Cine Rodeio, de acordo com o projeto (Crédito: Urban Studio BR)

Ainda de acordo com Stener Camargo, a Secretaria vive a expectativa de, nos próximos dias, receber os R$ 600 mil obtidos via consulta popular para o Parque da Cascata do Salso. A informação de que o recurso será pago em breve foi repassada a ele na segunda-feira, em reunião em Porto Alegre.

Sobre o projeto do museu a céu aberto no Forte D. Pedro II, Stener informou que está tramitando junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. No momento, é aguardada a troca da superintendência do órgão para solicitar uma nova reunião e tratar sobre as autorizações necessárias para a execução da obra.

Por fim, Stener Camargo comentou sobre a realização do Carnaval 2023 de Caçapava. Serão realizados os tradicionais bailes de rua, em frente ao Centro de Cultura, e o desfile dos blocos e das entidades carnavalescas do município, na última noite de evento.

Para garantir a tranquilidade da população durante a festa, a Prefeitura aumentou o número de seguranças em relação a anos anteriores. Além disso, foi realizada uma reunião com representantes da Brigada Militar (BM), em Porto Alegre, para garantir que haja aumento no policiamento das ruas da cidade durante o feriado. Conforme o secretário, foi sinalizado pela BM o envio de policiais de Bagé e de Uruguaiana para Caçapava.

Foto principal: Isabela Oliveira