Quem é a caçapavana que tirou 980 na redação do Enem?

Em entrevista à Gazeta, Manuela Rodrigues comenta sobre a preparação para a prova, os estudos durante a pandemia, suas matérias favoritas (ou não) na escola e que carreira pretende seguir no futuro

Manuela Rodrigues
Crédito: Arquivo pessoal

A estudante caçapavana Manuela Langner Rodrigues, de 20 anos, somou 980 pontos na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2023, prova que vale 1000 pontos e detém o maior peso na hora da elaboração da nota final.

Filha de Marta Langner, professora de Português, e de João Rodrigues, supervisor da RGE, Manuela foi aluna da Escola Municipal Dagoberto Barcelos, onde concluiu o ensino fundamental, do Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro e da Escola Estadual Nossa Senhora da Assunção (EENSA), onde cursou o ensino médio.

Os dois últimos anos desta fase foram na modalidade EAD, devido à pandemia do coronavírus. De acordo com a estudante, este período a desmotivou bastante, e o ensino a distância, por ser uma novidade para todos, prejudicou seu aprendizado.

– Foi uma experiência repleta de medos e desafios. Infelizmente, interferiu nos estudos, pois nada como uma aula presencial, junto do professor – comenta.

Apesar da nota alta na redação e de sua mãe ser professora de Português, Manuela conta que sua matéria favorita sempre foi Biologia, e que Português não era uma de suas preferidas, por ter dificuldade com o número de regras. Já a leitura sempre foi um hábito que gostou de cultivar.

Em 2021, ela prestou seu primeiro Enem, mas a nota na redação não foi tão alta a ponto de ingressar no curso de seus sonhos: Medicina.

– Foi 780. Isso me frustrou muito, pois, para o curso que eu quero, é baixa. Então, vi que deveria estudar mais e entender a prova de fato para alcançar uma nota satisfatória – diz.

Para alcançar a tão sonhada aprovação, Manuela resolveu organizar a sua rotina, priorizando os estudos, mas sem abrir mão do lazer, que também é essencial para um bom desempenho nas provas.

– Minha rotina em 2023 foi voltada somente para os estudos. Tive apoio familiar e consegui focar 100% na prova do Enem. Estudava cerca de oito a nove horas por dia e, aos fins de semana, descansava. Mas sempre revisava a matéria e fazia redação aos domingos. Achava importante o lazer, não me privei de nada, apenas organizei a rotina, priorizando o estudo. Acredito que foi crucial manter outras áreas da minha vida ativas, como socializar com família e amigos. Isso me dava força para continuar – explica.

Sobre o tema da redação do Enem 2023, “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”, a estudante revelou que a assustou um pouco:

– Achei um tema necessário e importante, pois tratava sobre a importância dos trabalhos realizados pela mulher no Brasil, como cuidar da casa, filhos e, também, sobre como esse trabalho de amor é desvalorizado e invisibilizado. Porém, na hora, não sabia se tinha escrito da forma correta. Acredito que essa insegurança foi gerada pela ansiedade.

Para quem vai realizar a prova do Enem 2024 e deseja um bom desempenho na redação, Manuela deixa um conselho: praticar.

– Escrever pelo menos uma redação por semana. Isso me ajudou a ficar mais preparada. Sempre procurei corrigir meus erros também. O conselho que desejo dar para os futuros vestibulandos é organizar uma rotina de acordo com suas necessidades e possibilidades, focando sempre na redação, pois é o que mais conta no Enem. Assim, no final do ano, estarão muito preparados e, com certeza, alcançarão 900 pontos ou mais. E, quem sabe, até o tão sonhado 1000. O principal é não desistir ou sentir-se incapaz, todo mundo é capaz, basta acreditar – afirma.

Ao fim da entrevista, questionamos Manuela: quem é a caçapavana que tirou 980 na redação do Enem?

– É uma pessoa que sonha muito em conseguir realizar o objetivo de ingressar na faculdade de Medicina, independente das dificuldades e impasses. É também uma pessoa que tem muita vontade de incentivar os outros, pois sei o quanto a Educação é desvalorizada e acaba desmotivando os jovens. Então, sigo na luta, procurando melhorar sempre mais e alcançar meu objetivo!