Foto: Acervo de Rodolino Garcia/ Arquivo Histórico Municipal

Todos que passam diariamente pelo centro de Caçapava, conhecem o prédio localizado na Rua XV de Novembro nº 438, os mais jovens talvez o conheçam apenas como a sede da Prefeitura Municipal, mas segundo a pesquisadora Fátima Jovane Nunes este “sobrado” em 1899 já abrigava a Intendência Municipal, no governo do Intendente coronel Baltazar de Bem e Canto.

Era de propriedade de Teotônio Augusto das Chagas e sua esposa dona Maria Angélica de Moura Chagas, adquirido por compra de herdeiros, filhos, netos e bisnetos de Manoel Dias Ferreira e Maria Joaquina de Jesus. No andar superior o Chefe do Executivo era assessorado por oito funcionários e, no térreo, a Guarda Municipal composta por sete soldados guarnecia a cadeia do município.

Segundo Fátima, antes de servir como sede da municipalidade, no local funcionou um hotel que pertencia ao antigo proprietário e também foi sede da Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul.

O prédio foi comprado pelo município em 16 de abril do ano de 1902, durante a gestão do então intendente coronel Coriolano Alves de Oliveira e Castro, pelo preço de nove contos de réis, pago através de um valor de entrada e o restante em duas parcelas, conforme escritura pública de compra e venda. No dia 23 do mês de agosto do ano de 1904, ocorreu a escritura definitiva de quitação do imóvel.

A pesquisadora conta que o prédio ainda apresenta as características da época em quase a sua totalidade, havendo poucas modificações, tais como a troca do modelo das janelas, com a substituição de guilhotina por duas folhas. “A construção tem dois pavimentos e sótão, e na sua cobertura telhas de canal em quatro águas. A sua parte frontal é caracterizada por platibanda, cercadura das aberturas, cimalha e sacadas corridas em ferro. Conforme o Projeto Caçapava, datado de 06 de março de 1987, a construção passou a fazer parte do Inventário dos Bens Culturais do Município de Caçapava do Sul.” Relata Fátima.

No dia 08 de abril de 2018, ocorreu à queda de parte do telhado e por consequência, os bombeiros interditaram o prédio, onde ficavam as salas do gabinete do prefeito e do vice-prefeito, a sala de imprensa, do controle interno e dos setores jurídico e do arquivo. De acordo com o documento assinado pelos Bombeiros, a interdição se deu por risco iminente à vida e à integridade física de funcionários e também do público.

O prédio em que parte do telhado desabou era um dos três do Centro Administrativo. No mesmo terreno, há o prédio que abriga as secretarias de Saúde, do Planejamento e da Administração. Anexo a eles, e interligando os prédios da frente e dos fundos, há um setor com dois andares que foi construído há mais de 10 anos e nunca foi concluído e usado. O local, que serve de passagem de um prédio ao outro, também está interditado por estar com a estrutura comprometida.

No mês de agosto deste ano foi iniciada a reforma do prédio que voltará a sediar o gabinete do prefeito e do vice-prefeito, a sala de imprensa, do controle interno e dos setores jurídico e do arquivo. A previsão de entrega da obra é de 90 dias.

A pesquisadora Fátima destaca que é preciso evitar “que um dos mais belos e interessantes edifícios centenários de Caçapava, que fez e faz parte da história da Segunda Capital Farroupilha, inclusive servindo várias vezes de sede dos governos do Estado do Rio Grande do Sul, não venha a ter o mesmo fim que outros, particulares e tombados pelo IPHAE, que presenciamos a cada dia mais deteriorados.”