Restauro da Casa dos Ministérios deve começar em breve

Segundo o secretário de Cultura e Turismo, Stener Camargo, foram arrecadados R$ 601 mil junto a quatro empresas. O valor será destinado à execução da primeira etapa da obra, que teve projeto aprovado na Lei de Incentivo à Cultura em fevereiro de 2023

Casa dos Ministérios capa
Crédito: Isabela Oliveira/Gazeta de Caçapava

O restauro da Casa de Ulhôa Cintra, mais conhecida como Casa dos Ministérios, deve começar em breve. A informação foi divulgada no início da noite de ontem (07), pelo secretário de Cultura e Turismo, Stener Camargo, através de um vídeo publicado em suas redes sociais. De acordo com ele, foram arrecadados R$ 601 mil junto às empresas RM Distribuidora, Dagoberto Barcelos, Super Engenho e Minuano Supermercados, que receberão benefícios fiscais pelo patrocínio da obra.

Esta será apenas a primeira fase do restauro, cujo projeto foi apresentado em 30 de novembro de 2022 pela Perene Patrimônio Histórico e Restauração Eireli junto ao Pró-cultura RS LIC. A aprovação foi confirmada em 07 de fevereiro de 2023 e, desde esta data, trabalhou-se junto às empresas para captar os recursos necessários. Cada uma delas poderia utilizar para financiar a obra, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC), até 20% do ICMS que pagariam.

No vídeo, o secretário Stener Camargo também explica que, concluído o restauro, a Casa dos Ministérios deve ser transformada em um museu da Revolução Farroupilha. À Gazeta, ele disse que o prédio histórico seguirá pertencendo aos atuais proprietários, que já manifestaram o interesse de vendê-lo ao Município. Além disso, Camargo também informou que, nesta primeira etapa, devem ser realizados o pagamento dos projetos, tanto o já elaborado quanto o da segunda etapa; a elaboração do projeto da fase seguinte; a estabilização das paredes da Casa; e a reforma do telhado.

Em evento realizado na noite de ontem, no Clube Recreativo Harmonia, o secretário também abordou o tema. Segundo ele, como havia sido autorizada a captação de R$ 991 mil para os trabalhos referentes à primeira etapa, mas foram arrecadados R$ 601 mil, será necessária uma readaptação do orçamento. Estima-se que os trabalhos possam iniciar entre março e abril.

Os responsáveis pelo projeto

A Perene Patrimônio Histórico e Restauração Eireli é especializada na gestão do patrimônio cultural e possui mais de 40 projetos em prédios pertencentes ao patrimônio histórico, artístico e cultural no Rio Grande do Sul. A direção geral é da arquiteta e urbanista Simone Neutzling, que há mais de 20 anos atua em projetos e obras de restauração e preservação do patrimônio.

Segundo a Assessoria de Comunicação da empresa informou à Gazeta no ano passado, o projeto contempla ações de inovação e de educação patrimonial.