Solidariedade

Fiquei muito feliz com as diversas iniciativas solidárias do povo de Caçapava do Sul, que fez sua parte diante do acontecido. Ajudar quem precisa num momento desses é, sem dúvida, um gesto nobre que brota do coração humano

Nos últimos dias, especialmente após as enchentes acontecidas aqui no Rio Grande do Sul, a solidariedade se manifestou de uma forma extraordinária!  Todos nós ficamos comovidos diante da dor e do sofrimento das famílias que foram duramente atingidas pelas enchentes. É impossível ficar indiferente diante do sofrimento dessas pessoas que, em poucas horas, perderam tudo o que construíram durante uma vida toda.

Fiquei muito feliz com as diversas iniciativas solidárias do povo de Caçapava do Sul, que fez sua parte diante do acontecido. Ajudar quem precisa num momento desses é, sem dúvida, um gesto nobre que brota do coração humano. Diante da dor e do sofrimento do outro, temos a liberdade de ficarmos indiferentes ou de sermos solidários. Esse sentimento de solidariedade que desperta em nossos corações revela o divino que habita em nós humanos. Nós damos espaço ao divino todas as vezes que somos capazes de amar e nos solidarizar com nosso próximo que se encontra em situação de necessidade.

Imagino que, no Marrocos, onde aconteceu mais um terremoto, que vitimou aproximadamente três mil pessoas até o momento, todos estejam manifestando sua solidariedade. Vários países mais próximos estão fazendo o que podem para auxiliar as famílias atingidas.

O que eu tenho dificuldade de entender é o fato de a guerra entre Rússia e Ucrânia não parar, nem mesmo diante de uma catástrofe dessa magnitude!!  Quanta insensibilidade! Com os recursos que estão sendo gastos nessa guerra, poderíamos reconstruir as casas do povo de Marrocos e melhorar a vida de muita gente. Aliás, os gastos com armamentos no planeta são gritantes aos nossos olhos. É muito dinheiro destinado para ceifar vidas humanas!

Voltando para o Rio Grande do Sul, é importante destacar também a ação dos governos estadual, federal e municipal, que estão atuando para ajudar a reconstruir a vida dessas famílias atingidas. O dinheiro público precisa fazer a diferença na vida dos cidadãos em situação de emergência. Pagamos muitos impostos e nada mais justo que eles retornem em forma de políticas públicas para os mais necessitados.

Que nossa solidariedade continue fazendo a diferença na vida dos mais necessitados!