Somos mortais

Para os que creem na eternidade, a vida não é tirada, e sim transformada. De vida finita aqui na terra, seremos infinitos no céu, porque assim como Cristo venceu a morte, nós também com ele seremos vencedores

Pe. Cláudio Dutra – Vigário paroquial

Em cada ano, sempre no dia 02 de novembro, celebramos o Dia de Finados. É uma data de muita saudade daqueles que nos precederam e estão juntos de Deus, segundo a nossa fé e a nossa esperança na eternidade.

No Santo Evangelho de Jesus Cristo, segundo São João, capítulo 14, versículos 1-8 lemos: “Não se perturbe o vosso coração. Na casa de meu Pai há muitas moradas!” Se nós sofremos com a morte, é porque queremos a vida, e se à vista da morte nós choramos, é porque somos eternos em Cristo Jesus. A esperança de uma vida para além da morte, para a qual devemos estar sempre preparados, pois não sabemos o dia em que seremos chamados para a eternidade. O próprio Cristo disse: “Não sabeis o dia nem a hora, estejais preparados!”

Para os que creem na eternidade, a vida não é tirada, e sim transformada. De vida finita aqui na terra, seremos infinitos no céu, porque assim como Cristo venceu a morte, nós também com ele seremos vencedores, conforme lemos na carta de São Paulo aos Romanos 6, 1-8. A morte é parte integrante da nossa existência, razão pela qual o mais importante não é só crer, mas fazer algo para merecer a eternidade através da caridade prestada aos mais necessitados e excluídos deste mundo.

Nosso Senhor Jesus Cristo aponta para a vida e não para a morte. Na esperança da eternidade, todo sentimento é suportável e só a certeza de um encontro eterno pode aliviar a dor da perda e enxugar as lágrimas por alguém que foi embora para sempre.

A esperança de uma vida para além da morte tem suas próprias razões frágeis, como sementes que precisam morrer, mas resistentes o bastante para abrigar, às suas sombras, a nossa alma, conforme lemos em São Marcos 4, 31-32.

Quando nosso Senhor e Salvador diz “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim!”, quer nos dizer, por mais que, às vezes, pensemos em outros caminhos que possam nos levar para a eternidade, eles não existem. Por isso, não basta saber que Jesus Cristo é o único caminho, a única verdade e a única vida, é preciso fazer tudo o que Jesus espera de nós: bondade, humildade e, acima de tudo, compaixão, respeito e compreensão, uns para com os outros.

Não coloquemos dúvidas sobre a eternidade que nos aguarda. Se desejamos o céu, façamos todo o bem aqui na terra e, um dia, seremos eternos. Saudade sim! Tristeza não! Portanto, é um dia de renovar nossa esperança nas palavras de Jesus. “Eu sou a ressurreição e a vida!” O Apóstolo Paulo diz: “A esperança na eternidade não decepciona! O amor de Deus manifestado em Cristo Jesus é mais forte que a morte.”

O dia de finados deve ser, sim, um dia de muita saudade, mas a fé e a esperança na vida eterna devem ser muito maiores. Que Deus abençoe a todos!!