Terno de reis com presépio vivo na Casa de Cultura

É o 19º ano que esta tradição trazida para o Brasil pelos imigrantes portugueses acontece em Caçapava

A Casa de Cultura recebe, no próximo dia 18 (segunda-feira), a visita de louvação do Terno de Reis. É o 19º ano que esta tradição trazida para o Brasil pelos imigrantes portugueses – em especial dos Açores – acontece em Caçapava do Sul, promovida pelo PTG Ronda das Sesmarias/CTG Sentinela dos Cerros. O cortejo musical visitará nove casas, terminando na CCJT, com um presépio vivo!

A tradição de cantar aos reis é uma manifestação cultural, religiosa e festiva, classificada como folclore e inspirada na história bíblica dos Três Reis Magos – Gaspar, Melchior e Baltazar – e sua chegada ao lugar onde se encontrava o menino Jesus recém-nascido. O cortejo visita casas da comunidade – cada ano em lugares diferentes – e leva uma mensagem de esperança e de um mundo mais fraterno.

Lúcia Freitas, uma das idealizadoras do Terno de Reis em Caçapava, explica que a tradição sempre teve muita força em algumas cidades litorâneas e na Serra do Rio Grande do Sul, especialmente em Santo Antônio da Patrulha. Por aqui, surgiu em 2004, a partir das leituras de um livro do historiador Paixão Côrtes, que falava especificamente desse tema, resultado de suas pesquisas em incursões pelo interior do Estado, na década de 1960. A partitura usada até hoje em Caçapava foi reproduzida deste livro. Alguns artistas da cidade, como o Ênio e a Adriana Dias, participam desde a primeira edição.

No Terno de Reis a formação se dá por um grupo de músicos e cantadores, que visitam as casas com cantigas – poesias de quadras (quatro versos rimados) – feitas especialmente para famílias. Tradicionalmente, usa-se a rabeca (quando possível), o violão e a gaita. A música geralmente tem um chote em sua introdução e, depois, um ralentado, no qual, em forma quase chorosa, os cantadores dirigem seus cânticos aos donos da casa, pedindo, no primeiro verso, licença para adentrar o recinto.

Quem visitar a Casa nesta data poderá contribuir com alimentos não perecíveis ou produtos de higiene e limpeza, pois, a cada ano, o Terno beneficia entidades diferentes. A primeira foi a Igreja Matriz, que estava em restauração. Em 2023, todos os produtos arrecadados serão revertidos para a Apae e para as famílias da Escola Patrício Dias Ferreira. O evento deste ano tem o apoio de Alpes, Espelho Mágico, Restaurante Clube à Mesa e Cabanha Acangupá.

PROGRAMAÇÃO:

Dia 18, a partir das 19h30min, com saída da residência de Pedro Freitas (Silva Jardim, 874) e chegada na Casa de Cultura.