A sugestão de leitura de hoje é da Dona Zoé. Algumas semanas atrás, fui visitá-la. Como ela já contou em sua coluna, é grande fã de Agatha Christie, e ao final da visita, escolheu um livro de sua autora favorita para que eu lesse: O caso dos dez negrinhos.

Nessa trama, dez pessoas se dirigem à Ilha do Negro. O tempo que passarão e o motivo pelo qual vão variam: algumas são convidadas a se hospedar na única casa da Ilha, outras vão para trabalhar. Como pano de fundo, há certo frenesi acerca do local, que está constantemente nos jornais, pois fora vendido a alguém não identificado, e todos querem saber quem é o comprador.

Antes dessa viagem, nenhuma das pessoas se conhecia. Seis delas fazem parte do trajeto de trem, e ficam admiradas ao saberem que vão para o mesmo lugar. Outros dois convidados vão de carro e se encontram com os demais no momento de tomar o barco que os levará à Ilha, onde já estão dois empregados.

Na casa, há uma cópia de um velho poema infantil em cada quarto ocupado pelos dez visitantes. Mas o que isso quer lhes dizer?

Tudo corre bem durante o dia, entretanto, na primeira noite, uma gravação soa inesperadamente, assustando a todos. O que há nesta gravação é uma lista de crimes que cada um deles teria cometido. Após ouvi-la, os convidados começam a conversar e percebem que nem eles, nem os empregados sabem quem são os proprietários da Ilha, aumentando a tensão.

E a situação piora ainda mais quando um deles é assassinado bem debaixo dos olhos de todos. Os demais percebem que precisam deixar o local o quanto antes ou serão os próximos. Porém, a única saída é o barco que os levou, que só retornaria à Ilha na manhã seguinte, mas não aparece. Presos em um pesadelo, eles terão de descobrir quem é o assassino para sobreviverem.

Pesquisando sobre O caso dos dez negrinhos, descobri que, a partir de determinado momento – provavelmente na década de 1980 –, as reedições da obra tiveram o título mudado por exigência da família de Agatha Christie. O motivo seria a possibilidade de que relacionassem o título original com racismo.

Por esse mesmo motivo, mas antes da determinação, em 1940, nos Estados Unidos, já havia sido adotado outro título. O utilizado nas edições brasileiras mais atuais é baseado neste, mas considero a escolha péssima, pois dá um grande spoiler sobre o que acontecerá na trama, apesar de não sobre a resposta ao mistério.

O título O caso dos dez negrinhos tem relação com o poema infantil incluído na obra, e este também foi alterado, assim como o nome da ilha, que passou de Ilha do Negro para Ilha do Soldado. Na sua opinião, havia necessidade?

Referência:

CHRISTIE, Agatha. O caso dos dez negrinhos. Tradução: Leonel Vallandro. 3ed. Porto Alegre: Globo, 1974.