Uma cena inédita

Três cidadãos, beirando os 60 anos de idade, em torno de uma mesa tomando café. Não um expresso de cafeteria, mas servido em taças maiores, com pão caseiro e queijo também, mais outras delícias da culinária familiar

Três cidadãos, beirando os 60 anos de idade, em torno de uma mesa tomando café. Não um expresso de cafeteria, mas servido em taças maiores, com pão caseiro e queijo também, mais outras delícias da culinária familiar.

O cenário é a cozinha da casa paterna dos três. Eles conversam animadamente sobre seus respectivos ofícios, comentando tipos de empréstimos para expandi-los, quais os melhores quanto aos juros e outros assuntos ligados.

O que eu vejo de inédito nesta cena é que nunca os encontrara, até então, ao mesmo tempo no tradicional café da tarde de sua mãe. É verdade que os três sempre compareciam a esse encontro da família, mas em horas distintas, cada um deles ao fim de seu expediente no trabalho. E a mesa ficava posta até que os últimos chegassem.

O inédito também do momento é que as manas já não estavam mais lá, pois tinham comparecido mais cedo.

Para eternizar esse momento mágico, bati fotos dos três, e até que saíram bem focadas, dignas de figurar nas lembranças da família.

Fiquei admirando-os de meu discreto ângulo e lembrei-os desde crianças, brincando de bola, de boizinho e vaquinha de osso, nos piqueniques e veraneios da família, mas também nas horas sérias dos compromissos que o pai lhes cobrava. Tarefas na chácara, alimento para a vaquinha de leite, e outros de mandalete, sem descuidar dos estudos e das visitas aos avós. Depois, voando do ninho para os estudos, e as saudades do lar.

Mas todos voltaram. Ao contrário de vários colegas que emigraram para terras e destinos distantes, eles se estabeleceram na cidade natal, onde encontraram bons motivos para aplicar seus conhecimentos e práticas desenvolvidas em família nos seus respectivos ofícios.

Aqui, encontraram as leais companheiras para fundarem seus lares. E criaram seus filhos, que só lhes têm dado motivo de orgulho. E começa agora a surgir a nova geração, pois entre eles já existe um vovô.

Bendita família que não se desapega, mas se expande mais e mais, em amor compartilhado e uma vida que segue para a frente, mas conserva os valores de seus ancestrais.