Vereadores acusam Mesa Diretora da Câmara de censura

Grupo formado por membros da oposição alega que a publicação de matérias sobre trabalhos de fiscalização realizados por eles não está sendo autorizada

Vereadores acusam Diretoria da Câmara de praticar censura
Crédito: Divulgação

Cinco vereadores da oposição divulgaram um comunicado ontem (24), acusando a Mesa Diretora da Câmara de censura. Segundo eles, as matérias encaminhadas para a Assessoria de Comunicação da Casa, agora, têm de passar por aval da Diretoria, e não está sendo autorizada a divulgação, nos veículos oficiais do Legislativo, de seus trabalhos de fiscalização, especialmente os referentes a problemas relacionados à atual gestão do município.

O grupo é formado por Luis Fernando Torres (PT), Marco Vivian (MDB), Mariano Teixeira (PP), Silvio Tondo (PP) e Zilmar Araújo (PP). No comunicado, eles também informam que, em 07 de fevereiro, terão uma reunião com um promotor de Justiça e pretendem formalizar uma denúncia sobre o caso junto ao Ministério Público.

À Gazeta, Silvio Tondo disse que quem mais teria sofrido a suposta censura seriam Mariano Teixeira e Luis Fernando Torres, e que está esperando a publicação de um pronunciamento seu. O vereador, que foi presidente da Câmara em 2023, afirmou ainda que, antes da atual Mesa Diretora, o setor de imprensa não precisava de aval para poder publicar alguma matéria.

Marco Vivian, além de também mencionar que a Mesa Diretora está decidindo o que deve ou não ser publicado, relatou que fotos que mostram os problemas da cidade e do interior, encaminhadas à imprensa por alguns vereadores, estão sendo descartadas.

– Na maioria das vezes, colocam só a foto do vereador na tribuna e não querem divulgar as fotos dos problemas dos bairros, interior e estradas. Isso, para mim, só tem um nome: censura. Ou querem esconder os problemas do município – declarou.

Também tentamos conversar a respeito do caso com Mariano Teixeira, Luis Fernando Torres e Zilmar Araújo. Na manhã de hoje (25), Teixeira informou apenas que estava viajando. Torres e Araújo, até o fechamento desta matéria, não responderam a nossas tentativas de contato.

Em resposta à denúncia, a presidente do Legislativo, Jussarete Vargas (PDT), disse que o relatado pelos vereadores “não existe”, e que bastaria acessar o site da Câmara para comprovar que todos tiveram seus espaços para manifestação.

Na tarde de hoje, a Mesa Diretora da Câmara divulgou uma nota de esclarecimento, na qual classifica as acusações como descabidas e afirma ser responsabilidade da Assessoria de Comunicação revisar os textos encaminhados pelas assessorias particulares dos vereadores, para que não infrinjam normativas institucionais e regimentais. O documento também diz que as matérias apresentadas pelos vereadores que agora denunciam a suposta censura foram publicadas no site e nas páginas da Câmara no Facebook e no Instagram, exceto uma, que apresentaria “dados inverídicos e imprecisos, dando conotação de promoção pessoal de parlamentar, o que impossibilitou à Assessoria de Comunicação publicar tal inveracidade”.