Vereadores cobram a Secretaria de Obras

Tanto membros da base do governo quanto da oposição reclamaram da situação em que se encontram ruas e estradas do município

Sessão 09-01-24
Crédito: Luiz Felipe de Oliveira/Gazeta de Caçapava

Seis vereadores, entre membros da base do Governo e da oposição, cobraram da Secretaria de Obras a solução de problemas em ruas e estradas do município. As manifestações ocorreram durante a sessão plenária de ontem (09), na Câmara.

Silvio Tondo (PP) mostrou, por meio de fotos, a situação em que se encontram algumas estradas do Passo dos Enforcados. Segundo ele, desde o ano passado são cobrados reparos na localidade. O vereador do Progressistas também se referiu a uma passarela, que seria usada pelos produtores rurais da região para transitar com seus insumos. O atual estado dessa passarela, de acordo com Silvio, estaria prejudicando o sustento dessas famílias.

– Peço atenção com essa região, porque não é de hoje. Não coloquem a culpa nas chuvas, porque isso já vem desde o ano passado. Desde o ano passado que aquela comunidade, infelizmente, está lá, jogada, sem ter a atenção que ela merece. Peço atenção, para tenham dignidade de vida básica, pelo menos – declarou Tolfo.

Por sua vez, Zilmar Araújo (PP) cobrou reparos da pracinha do Bairro Pazinato. De acordo com ele, o lugar está com grama alta, sujo e com os brinquedos em estado de sucata.

O vereador também criticou o modo como a Secretaria vem realizando alguns reparos, citando como exemplo os realizados nas ruas Benjamin Constant, em frente ao Mercado Kaiser, e Dolina Santos, onde as máquinas teriam somente jogado cascalho, sem realizar o patrolamento. Além disso, conforme ele, o cascalho utilizado continha pedras muitas grandes, o que causou problemas.

Araújo ainda chamou a atenção da Secretaria de Obras para a estrada da Picada Grande, que estaria intransitável, levando taxistas a se recusarem a ir até lá, e reclamou de não ser ouvido pelo secretário Lasier Garcia, dizendo que já se manifestou em três sessões para pedir providências quanto à situação do local.

– Nem me atender me atendem mais. O pessoal da Picada Grande está pedindo socorro. Eu queria que o prefeito pegasse o carro dele e fosse lá andar, para ele ver se é bom, se ele vai gostar de andar naquela buraqueira. Todos sabemos o estado, o abandono que está a nossa cidade – disse Zilmar.

Em sua fala, Marco Vivian (MDB) demonstrou insatisfação com o abandono da localidade do Maricá, no Santa Barbinha. Segundo o vereador, na estrada de acesso pela região do Megatério e do Rincão dos Bitencourt, não passa carro, e alguns produtores tiveram de fazer reparos na via para conseguir transitar com seu gado e com insumos para plantações.

– Às vezes, quando a gente vem aqui falar, se exalta um pouco, mas é o desespero, porque não estamos vendo um secretário atuante – comentou.

Vereador da base do governo, Caio Casanova (PDT) se pronunciou, alegando ser complicada a relação da Câmara com a Secretaria de Obras. De acordo com ele, o secretário se recusa a atendê-lo quando solicita ajuda.

–Eu recebo as demandas da população pelo telefone e mando para o secretário, e agora também para o prefeito em exercicío. Essa semana, devo ter mandado mais de trinta, e não estão me respondendo. Eu estou fazendo a minha parte – alegou Casanova.

A presidente da Casa, Jussarete Vargas (PDT), disse que teve uma reunião com o secretário de Obras e com o prefeito Giovani há algum tempo. Segundo ela, na ocasião, foi tratado um mutirão de reparos no município, mas nada foi feito ainda.

– Nossas ruas estão abandonadas, nosso interior está abandonado. Os pedidos dessa vereadora também não são atendidos. O secretário não está enrolando, mas disse que não tem condições de atender todas as demandas. Tudo bem, mas alguma coisa tem de ser feita. Terceirizem o serviço – sugeriu.

O último vereador a se manifestar sobre o assunto foi Antônio Almeida Filho (MDB). Ele comunicou aos colegas que conversou com a equipe responsável para propor a contração de profissionais para ajudar na demanda e que, a princípio, a Secretária aceitou a proposta e está buscando empresas para terceirizar o serviço.